segunda-feira, 16 de junho de 2008

Livro de assinaturas da Lari

Olá Pessoas!

Hoje foi bem legal... recebi a tão esperada caixa da Lari. Lembram do desafio da criatividade que postei algumas páginas aqui? Então... agora todas que participaram (até as que não conseguiram ir até o final, como eu!) vão assinar um caderninho. Gente, ele vem dentro de uma caixa recheada de "inspiração" e a gente pode pegar o quiser e colocar outras coisinhas no lugar. Eu adorei tudo! Mais uma vez, obrigada, Lari... estou despachando a caixa pra Carmem amanhã mesmo.

Aqui a super caixa... aff... quanta coisa. Acho que a última a postar vai pagar uma fortuna de Correios... rs!

E aí está minha página do caderninho... AH! Usei o papel de passarinhos que estava na caixa e que eu amei!
Numa página coloquei minha foto com jornal e thickers...

Na outra, escrevi o meu "Quem sou eu aos 30?"
Queria muito ter escrito à mão mas eu gastaria o caderninho inteiro...

Aproveitando o ensejo... Quem sou eu aos 30?
Por Thaisa Salge

Hoje eu sou a mãe do João, a esposa do Rodrigo e a filha do Cylio, quase que necessariamente nessa ordem. Sou feliz da vida! Já chorei, já descabelei, já sofri. Não sofro mais, nem morta... ou melhor, sofro sim, quando algo atinge a minha família. Aí eu viro bicho. Sou coruja mesmo, sem vergonha. Compro briga na fila do pula-pula. Filho é pra ser criado debaixo da asa, foi assim que minha mãe fez. E deu certo porque dela eu só tenho lembranças boas. Não vou falar disso, senão eu choro. Mas posso falar do meu pai que é lindo e tá perto de mim ainda, não tão perto quanto eu gostaria, mas presente em tudo que eu faço. Tenho também o marido quase perfeito... digo quase por que tem o futebol, mas com esse não dá pra competir, já desisti. Mas ele é inteligente e interessante, se preocupa com as pessoas e com o planeta... essas coisas de sociólogo. Uma amiga o define como “espírito evoluído”, sou obrigada a concordar com ela. De quebra, junto dele veio uma família inteira que me trata como rainha. Isso não é tudo? Ainda não... eu tenho uma irmã que é a melhor que alguém pode ter. Me deu sobrinhos mais que deliciosos que eu amo de paixão. Tenho ainda quatro afilhados de batismo e me sinto bastante responsável por eles. Os amigos... tem tanta gente que diz que os verdadeiros são poucos. Eu tenho vários. Vários mesmo, gente do jardim de infância, do colégio, da faculdade, da vizinhança, das viagens, do trabalho, tenho até os virtuais. E como eu prezo os meus amigos. Não tenho gatos, nem cachorros. Nem de pelúcia. Mas o João os ama, logo logo estarei pagando língua e me rendendo a um canil no fundo do quintal, só no quintal, bem no fundo. Eu amo meu trabalho. Acabo de concluir uma pós em Fotojornalismo, um tanto esquisito pra uma advogada, mas o fiz por amor e matei uma vontade antiga. Sou movida à fé. Não vou à missa, já fui. Hoje eu vou à igreja no meu horário de almoço, agradeço mais do que peço. Depois volto pro trabalho aliviada. Passo dez horas do meu dia no trabalho, as outras quatorze, tirando as de sono e as de scrap, são únicas e exclusivas para a minha família. Meu dia rende. Ano passado descobri que o scrap é a melhor de todas as terapias, deixa o psiquiatra no chinelo. Além disso, minha diversão se resume a cinema, teatro, parque, circo, festas infantis, reunião de pais e mestres e de vez em quando rola um barzinho a dois. Balada nem pensar, no máximo festa de casamento de um amigo muito legal. Troco qualquer programa por duas horas de happy hour no Outback, ah! como eu amo aquela costela. Já tomei todas, hoje nem Coca-Cola bebo mais. Eu acordava de madrugada pra tomar Coca-Cola. Fiz promessa. Ih, eu vivo de promessa. Pior é a de chocolate. Nada de chocolate, nem o recheio do biscoito, nem o Nescau no leite. Nada. Já tem um ano. Superação total. No começo é difícil, mas depois a gente percebe que a troca vale a pena. Ah! Eu sou mineira, com muito orgulho. Amo Ibiá. Sou capaz de pregar adesivo no carro – I love Ibiá. Brega mesmo, mas eu amo as pessoas, os tios, primos e amigos, o pão de queijo da Norma, o cheiro e a presença da minha mãe que nunca vão sair daquela casa. Vou sempre que posso, menos que gostaria. Outra coisa... eu amo viajar, seja lá qual for o destino. É a única coisa a que chamo de sonho de consumo. Aliás, costumo dizer que dessa vida eu só quero dinheiro se for pra rodar o mundo e muita, mas muita saúde pra eu curtir a minha família! O resto? O resto eu já fiz no passado e hoje, sinceramente, nem me interessa mais! Sou realizada? Completamente! Só tem uma última coisa... se Deus assim quiser, vou ter uma menina pra se chamar Alice!

6 comentários:

Larissa Crescini disse...

Thaísa! Amei sua biografia, adorei seu perfil e a riqueza de sua descrição! Fui eu que coloquei o papel de passarinhos Daisy Ds na caixa, adorei que o usou! Ficou lindo! Bjs

Georgia Magalhães disse...

Thaisa, ficou ótima sua biografia. Adorei demais. Bjs

Lylú disse...

que lindo Thaisa!!

Scrap Brasília disse...

Thaísa, adorei sua história e como que em palavras voce transmite toda a emoção. Em muitas coisas me identifiquei com vc e sei perfeitametne que cada palavra significa a vida!!!! Parabéns, esse texto é digno de uma bela página de scrap e o título tem que ser VIDA!!!
Agora me dá a receita de como vc faz tanta coisa e ainda sai tudo lindo!!!! rs.
Abraços
Grice

Carmem Lucia Calvo disse...

Thaísa,
em pleno domingo de manhã e eu aqui com os olhos cheios d'ádua com esse seu depoimento...Que lindo que aos 30 você já descobriu os melhores caminhos da vida...E chocolate é muuuito bom, mas tem coisas muuuuito mais importantes. Não sei se vai dar certo seu cupcake, depois me conte. Tem uma procura de receitas em outros blogs lá no meu blog, vc vai achar lá um cupcake sem chocolate...
Um grande beijo!

Silvia disse...

Thaisa, te conheci ontem na aula da Ju, mas depois de ler, e me emocionar como seu perfil, parece que te conheço há muito tempo... até me emocionei!
Bjs
Silvia